Inovação Consultoria

Canal de informação e conteúdo da Inovação Consultoria
Saiba mais
Sobre a Inovação
Assessoria em Licitação
Treinamentos e Palestras
Consultoria Empresarial

21
jun
2017

A fim de estimular os empresários das Micro e Pequenas Empresas (MPEs) locais a participarem dos processos licitatórios realizados pela Prefeitura de Londrina, o prefeito Marcelo Belinati lançou, na manhã desta terça-feira (20), o programa Compra Londrina.

O objetivo do programa é promover, de forma permanente, e com a participação da sociedade civil organizada, a inclusão e a capacitação dos empreendedores locais para gerar emprego, renda e fortalecer a economia de Londrina. Segundo o prefeito, a ideia do projeto adveio da iniciativa privada através de entidades como a FIEP, Sebrae, Desenvolve Londrina, Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), e Observatório de Gestão Pública de Londrina, que desejavam uma participação mais ativa das empresas locais nos processos licitatórios do poder público.

Prefeitura lança o programa Compra Londrina

LEIA MAIS

06
jun
2017

Que existe uma crise instaurada em nosso país todos nós sabemos, o que nós precisamos nos debruçar é na discussão de como devemos e podemos superar esse cenário nas empresas, especialmente na área comercial.

Vamos falar sobre um assunto recorrente para nós brasileiros e que toma a pauta dos noticiários dia após dia: A CRISE. Outrora se falou em crise econômica, hoje se fala crise de confiança e eu iria mais adiante, falo em crise ética. A crise de ética, afeta a todos nós, uma vez que seus desdobramentos se refletem naquilo que é coisa comum, no bem público. Enfim, indo para os desdobramentos no mundo empresarial, temos um contexto de letargia, pela falta de visão de futuro e é nisso que vamos focar. Como investir em um país que não se sabe quais os rumos e se os impostos pagos pela minha empresa não serão utilizados por fins espúrios? Dentro deste cenário, temos o cenário comercial, onde a pergunta que todos devem estar se fazendo é: Como vender nessa crise?

Como vender em meio a uma crise econômica?

LEIA MAIS

31
mar
2017

Com a ideia, o nome, o logo e o público alvo definido, o próximo passo é abrir de fato a empresa. Pode parecer coisa de outro mundo, entretanto não é.  Alguns fatos são muito importantes, e farão muita diferença na sua empresa.

LEIA MAIS

19
jan
2017

Os principais líderes empresariais brasileiros estão otimistas em relação ao crescimento de seus negócios: 57% deles acreditam que o faturamento irá se expandir nos próximos 12 meses.

Os principais líderes empresariais brasileiros estão otimistas em relação ao crescimento de seus negócios: 57% deles acreditam que o faturamento irá se expandir nos próximos 12 meses. O percentual é quase o dobro dos 24% que previam expansão dos negócios em 2016 e 19 pontos percentuais maior do que a média entre os cerca de 1.400 CEOs entrevistados no mundo. Uma maioria ainda mais expressiva (79%) prevê crescimento de receita nos próximos três anos.  Os CEOs brasileiros também demonstram mais otimismo quanto ao cenário global de negócios. Quase a metade (43%) prevê crescimento econômico em 2017, 14 pontos percentuais a mais do que a média global de líderes (29%) que compartilha a mesma previsão.  Os resultados da 20ª Pesquisa Global com CEOs da PwC revelam um cenário positivo também globalmente. Cerca de 50% dos CEOs afirmam estar muito confiantes em relação ao aumento das receitas de suas empresas no médio prazo (três anos) e 38% têm essa mesma perspectiva já para este ano, ante 35% no ano passado. Para 90% dos CEOs brasileiros, a expansão dos negócios nos próximos 12 meses se dará por meio de crescimento orgânico, globalmente 79% planejam seguir esse mesmo caminho. A estratégia para ampliar resultados envolve ainda redução de custos, para 86% dos brasileiros e 62% dos líderes globais, e a formação de alianças estratégicas, 62% no Brasil e 48% globalmente.  No Brasil, 45% dos líderes também pretendem investir em fusões e aquisições e 43% devem firmar parcerias com startups, ante 28% da média mundial. "O aumento do grau de confiança dos executivos brasileiros está bastante relacionado às perspectivas de retomada econômica do país", diz Fernando Alves, sócio presidente da PwC Brasil. "Mas aspectos menos positivos, como a carga tributária e a necessidade de investimentos em infraestrutura, continuam a ser fonte de preocupação para o empresariado", acrescenta.  Questionados sobre quais países, excluindo o Brasil, são mais importantes para os negócios, 67% responderam Estados Unidos, 43% China e 26% Argentina, fato que reflete a retomada da confiança naquele país. Globalmente, os CEOs estão focando em um mix maior de países para fechar parcerias de negócios, ao invés de centrar esforços apenas em países emergentes como vinham fazendo há alguns anos. Nos próximos 12 meses, a maioria dos líderes empresariais pretende investir nos Estados Unidos (43%), China (33%), Alemanha (17%), Reino Unido (15%) e Japão (8%).  Desafios Globais  Em relação às principais ameaças ao desempenho dos negócios, 88% dos executivos brasileiros citam o excesso de regulação (ante 80% da média mundial), o aumento da carga tributária (86% e 68% respectivamente) e a falta de infraestrutura (81% e 54%). Também há temores em relação a outros aspectos que podem representar dificuldades para a expansão das empresas, como a falta de profissionais com competências-chave, mencionada por 69% dos executivos brasileiros (no mundo, essa é uma preocupação para 77% dos CEOs), a velocidade dos avanços tecnológicos (64% e 70%) e a entrada de novos concorrentes (55% e 58%).  Globalmente, a pesquisa revela uma crescente preocupação com medidas protecionistas. Entre os entrevistados, 58% acreditam que já está mais difícil competir em nível global, devido a políticas nacionais mais restritivas.  "Embora os CEOs estejam mais confiantes com as perspectivas de crescimento, eles revelam três principais preocupações: a adoção de estratégias de gestão de pessoas e de tecnologia para formar profissionais adaptados à era digital; a preservação da confiança nos negócios num ambiente de crescente interação virtual; e o maior engajamento da sociedade na busca de soluções colaborativas, para que a globalização beneficie a todos", destaca o chairman global do Network PwC, Bob Moritz.  A PwC ouviu os maiores líderes empresariais do mundo a respeito dos impactos da globalização – há 20 anos, esse foi um dos principais temas da primeira edição da pesquisa. Ainda que reconheçam os benefícios obtidos, os CEOs questionam se houve algum efeito na redução da desigualdade e na mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Essa mudança de perspectiva fica evidente quando se compara os resultados da pesquisa com os da primeira edição, lançada em Davos em 1998.  A globalização é vista por 60% dos CEOs como responsável por melhorar o fluxo de pessoas, capitais, bens e informações e 37% acreditam que ela permitiu o surgimento de uma força de trabalho mais educada e capacitada. No entanto, 44% dos líderes avaliam que o movimento não colaborou para diminuir a diferença entre ricos e pobres.  Perfil da amostra:  A pesquisa foi realizada entre setembro e dezembro de 2016. Foram entrevistados 1.379 CEOs de 79 países, da Ásia (36%), Europa (21%) e América Latina (12%), por meio on-line, postal, por telefone e pessoalmente. A amostra é composta por empresas privadas (57%) e companhias abertas (43%), com faturamento superior a US$ 1 bilhão (36%); entre US$ 101 bilhões e US$ 999 bilhões (38%) e menos de US$ 100 milhões (21%) e empregam entre 1.000 e 5.000 funcionários (36%). Dos participantes 3% ocupam o cargo de CEO há mais de 25 anos. A maior parte dos executivos está no atual cargo há até cinco anos (51%). Entre os profissionais que responderam à enquete, 43% têm entre 50 e 59 anos de idade, 6% têm menos de 39 anos e 7% possuem acima de 65 anos.

57% dos CEOs brasileiros preveem crescimento em 2017

LEIA MAIS

23
set
2016

Fazer networking é muito difícil: são raros os profissionais que realmente cuidam das suas redes de contatos de forma estratégica, mesmo entre aqueles que já acumulam décadas de experiência no mercado.

6 regras de networking para quem está em início de carreira

LEIA MAIS

Mais: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11